Palavras soltas...

(...) "Tenho aprendido muitas coisas nos últimos tempos. Uma delas é que jamais podemos deixar para amanhã um gesto de carinho, um sorriso verdadeiro, uma declaração de amor."

Confira a crônica completa clicando aqui.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Fator de emputecimento


Não há, nunca houve e jamais haverá algo mais precioso do que a vida. A minha, a sua, a de todos!
É triste ver que as forças das águas que atingiram a cidade do Rio de Janeiro já mataram 133 pessoas, entre idosos, jovens, crianças – gente que tinha tantos ou mais planos quanto eu, quanto você, quanto todos nós! Gente que se foi... Isso, até agora, 20h02 desta quarta-feira.
É difícil!
Por conta da chuva, pensem bem, as pessoas perderam a hora de ir trabalhar. Outras perderam a casa. E, o pior de tudo, algumas perderam a vida. Os que ficaram – sobreviveram – perderam alguém que amam. Pais perderam filhos. Filhos que perderam pais... dói só de ver.
É triste, amigos.
Todo mundo já deve ter perdido alguém para a morte e deve saber o quanto dói. Eu sei.

Assim, não há palavras para definir meu sentimento de revolta e emputecimento em relação a certas discussões tão imbecis e desnecessárias em um momento tão triste.
Uma dessas discussões diz respeito ao adiamento ou não do jogo entre o Melhor do Mundo e um timeco lá do Chile, em partida válida pela Libertadores da América, torneio que desde o princípio todos sabem que irá para a sala de troféus da Gávea.
É lógico que o jogo deve ser adiado. É lógico que não dá pra fazer festa no Maracanã ou em qualquer outro lugar da Cidade Maravilhosa enquanto tanta gente ainda chora seus mortos, reconstrói sua casa ou recomeça do zero. Vale lembrar que mais de onze mil pessoas estão desalojadas!
Essa discussão, pra mim, chega a ser imoral!
Dirigentes com merda na cabeça e a emissora que monopoliza horários de partidas de futebol no Brasil, vêem no adiamento um sinônimo de prejuízo. Ora, se o jogo já não vai ser mesmo nesta quarta-feira (7) como estava marcado, jogar na quinta-feira (8), às 16h, não mudaria nada. Os estragos não serão consertados em 24 horas. As pessoas não irão se ajeitar em menos de um dia.
O Flamengo é uma paixão. Mas pode esperar. Eu não ligo. E tenho certeza de que os cidadãos de bom senso também não ligam se o time vai jogar hoje, amanhã ou só em maio! O problema nem é esse. A hora é de recuperar a cidade e direcionar as preocupações e discussões para aquilo que realmente interessa: a vida! O bem do ser humano, porra!

Agora, para piorar, fico sabendo que, sim, o jogo acontece na quinta, amanhã! Vão todos para os “quintos dos infernos!”. A torcida do Mengão, a torcida do povão, deveria boicotar essa porra e só voltar ao Maraca, a casa do rubro-negro de bom coração, somente no domingo, dia em que temos a costumeira missão de derrotar o Vice da Gama!
Até porque, boicotar um jogo às 16h de uma bruta quinta-feira não é difícil para quem trabalha...

Enquanto os interesses comerciais forem colocados acima de interesses do bem estar social, nosso País continuará sendo inundado pelas chuvas, pela ignorância e pela pobreza, não só de bens, mas de espírito.

2 comentários:

Luciene disse...

Triste mesmo, mas eis uma realidade: Sempre foi assim.

Vc conseguiu demonstrar perfeitamente o sentimento de muitos em relação a este tema. Parabéns!!!

Mônica disse...

C'est la vie, c'est la triste vie... qu'est-ce qu'on dois faire???