Palavras soltas...

(...) "Tenho aprendido muitas coisas nos últimos tempos. Uma delas é que jamais podemos deixar para amanhã um gesto de carinho, um sorriso verdadeiro, uma declaração de amor."

Confira a crônica completa clicando aqui.

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Faces de um domingo


Eis a vida. Enquanto numa esquina a multidão comemora a vitória do Brasil sobre os Estados Unidos, sagrando-se tricampeão da Copa das Confederações, realizada na África do Sul... na outra, quatro jovens envolvem-se em um acidente de carro – até então, sem explicações concretas.
Tudo que sei, é que neste domingo eu trabalhei o dia todo para produzirmos a edição da segunda-feira do jornal.
Pois bem, pela manhã, acompanhamos aos jogos do Campeonato Amador de Futebol local. Gols, belas jogadas, churrasquinhos, torcedores, crianças e picolés. Só alegria.
Ainda pela manhã, atendemos a um chamado do Corpo de Bombeiros dando conta que um operário caíra de uma altura de 12 metros, ferindo-se gravemente, quando trabalhava na construção de estrutura metálica para uma empresa no Distrito Industrial da cidade. Até o final da tarde, o estado de saúde dele era grave, porém estável. Informações repassadas pelos seus colegas de trabalho, dizem que o trabalhador utilizava todo o aparato de segurança, porém, após duas falhas, uma dele e uma do aparelho, o jovem de 25 anos despencou estrutura abaixo. Acidente.
No horário do almoço, que para jornalistas nunca é no horário do almoço, aproveitamos e emendamos para assistir ao jogo da Seleção Brasileira – até porque também somos filhos de Deus e Ele, diga-se de passagem, é brasileiro. 3x2, de virada (e que virada), Brasil Campeão.
Só uma observação: tudo bem, vivemos em uma democracia. Mas, aguentar uma moça torcendo – freneticamente – para os EUA foi dose. O bom foi que ao final da partida, tiramos uma casquinha e zoamos muito com a cara dela... Só alegria – Parte II.
Já na redação, quase fechando o jornal, eis que surge um chamado: motorista desgovernado causa acidente na avenida Doutor Odilon Fernandes, um quarteirão abaixo do jornal...
No local, as quatro vítimas do veículo estavam sendo socorridas. Enquanto isso, alguns moradores aproveitaram nossa presença para cobrar do governo municipal um pouco mais atenção com aquela via, a qual, segundo eles, vem servindo como pista de racha para jovens durante as madrugadas. “Vocês têm que colocar isso no jornal”, dizia uma senhora, inconformada com a situação.
Cinquenta metros para trás do lugar onde estava o carro acidentado, um outro veículo se encontrava em cima da calçada e sem a roda direita. De acordo com testemunhas, o condutor do primeiro veículo dirigia em alta velocidade, quando em determinado momento perdeu o controle, bateu de raspão em um terceiro carro, bateu em cheio na traseira do segundo veículo, arrancando e arremessando para longe a sua roda traseira esquerda e logo em seguida, invadido a calçada e parado rente a um muro.
Resultado: quatro feridos, um em estado mais grave. Pais e amigos das vítimas, como sempre, atordoados. Ninguém sabia de onde eles vinham e muito menos para onde iriam. O que se sabe, no entanto, é que uma festa não terminou só em alegria. Acidente – Parte II.
Moral da história: trabalhando ou festejando, nunca é demais zelar pela sua e pela vida do próximo...

3 comentários:

Patrícia disse...

espero que os acidentados fiquem bem. agora já sei porque demoraram tanto pra me ligar. até a próxima. beijo.

Gabriela Brito disse...

Que domingo conturbado Paulo

Marilia Cândido disse...

Acidente de trabalho, violência, jovens inconsequentes, futebol e churrasquinho! Bem brasileiro esse domingo....