Palavras soltas...

(...) "Tenho aprendido muitas coisas nos últimos tempos. Uma delas é que jamais podemos deixar para amanhã um gesto de carinho, um sorriso verdadeiro, uma declaração de amor."

Confira a crônica completa clicando aqui.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

(Mais) devaneios particulares

Soa estranho esse sentimento contínuo dentro da minha mente.

É estranho mesmo.

Acho que já vivi este mesmo momento, esta mesma sensação, e senti esse exato calafrio em algum ponto inencontrável da minha breve existência.

Já teve essa sensação inexplicável de já ter estado em algum lugar, mesmo nunca tendo pisado ali antes?

É a história que se repete? Ou é aquilo que queremos e por isso nos levamos a sentir?

Só sei que é estranho.

Mas, por enquanto, quero apenas aproveitar o momento, seja ele novo ou apenas a repetição de um capítulo que já vivi – nunca interpretei – nesse filme chamado vida.

Vou jogar o lixo fora. Vou tentar almoçar na hora e tomar leite antes de dormir. Enquanto isso, espero quem eu sei que pode até mesmo não querer vir... até lá, termino de ler aquele livro que me comprometi a terminar até o fim do ano.

2 comentários:

Mônica disse...

Sabe, Paulo, não lembro se foi Camões ou o Pessoa ou mesmo o Andrade que disse certa vez e para sempre: o que mais tenho em mim é aquilo que me falta. Então, talvez, você tenha certado ao dizer que é o querer, o desejar que faz com o momento seja tenha semelhante a qualquer um outra possa vir ou não a acontecer...

ps: eu num sei pq mas tenho a imprensao que eu escrevo melhores comentarios do que posts... enfim...

Beijos!

Marilia Cândido disse...

Esta sensação tem nome:Déjà vu.
Beijo