Palavras soltas...

(...) "Tenho aprendido muitas coisas nos últimos tempos. Uma delas é que jamais podemos deixar para amanhã um gesto de carinho, um sorriso verdadeiro, uma declaração de amor."

Confira a crônica completa clicando aqui.

sábado, 19 de março de 2011

Amizades, paixões, emoções e devaneios


Voltei. Faz tempo que não passo por aqui. Hoje, porém, vou escrever.
Um devaneio interessante – pelo menos pra mim – vou lhe contar.

Antes de qualquer coisa, queria dividir com você a sensação louca e inexplicável dessa tal de paixão. É algo que, por mais que tentasse, eu não saberia explicar. Mas, no fundo, têm razão os poetas quando dizem que a paixão não nasce para ser explicada. Ela nasce pura e simplesmente para ser vivida. Tão simples.
O fato é que de todas as paixões, pra mim, as mais belas, sinceras e empolgantes são aquelas nascidas por meio de uma amizade. Ainda assim, mesmo sendo as mais belas, sinceras e empolgantes, são as mais difíceis de serem, no mínimo, reveladas. Há casos de paixões desse naipe que nascem e morrem sem que o objeto de desejo sequer desconfie da sua existência. Não acho que isso seja justo.
Acredito que todos os apaixonados deveriam se revelar.
É angustiante guardar algo tão bonito só pra você. Há quem diga que seja egoísmo. Porém, não dá pra julgar quem prefere viver com esse segredo. Talvez seja melhor, pelo menos mais prudente. A paixão, caro leitor, às vezes, tem efeitos devastadores.
No fundo, o que todos os apaixonados querem é aquela tal de reciprocidade. Mas, quando o outro não quer, é, no mínimo, phoda.
Imaginemos: num belo dia, o cidadão se descobre apaixonado por sua querida amiga. Não nota nela nem um sinal desse mesmo sentimento. Revelando, pode despertar na garota algo que estava apenas adormecido. Ou, tragicamente pelo contrário, pode estragar uma amizade. É tenso.
Mas, vamos lá aos sintomas disso tudo que estou falando... Ou pelo menos tentando falar.
Apesar de tenso, é fantástico quando isso acontece. Eu gosto. É muito bom, inexplicável, quando de repente, você nota que a sua amiga tem o sorriso mais bonito do mundo. Algo jamais notado e que agora se revela só pra você.
É indescritível a sensação de quando ela te envolve num abraço. Tudo muda. A partir de então, o abraço é diferente. Provoca arrepios e emoções siderais. Caso dependesse somente de você, eu sei, esse abraço seria imortal. O perfume te embriaga e provoca aquela sensação imorredoura de admiração gratuita.
Agora, quando ela fala, as palavras se traduzem em singelas e melódicas notas musicais. Ela canta pra você. Algo muito parecido com o lendário canto das sereias. Assim, você, pobre apaixonado, percebe que não percebe como fica com cara de bobo só de vê-la sorrir, conversar, cantar...
Tem vontade de falar, de se declarar. Tem medo! Tem vontade de beijá-la nos lábios, mas sem aquela ganância desenfreada dos beijos roubados em baladas. Quer sentir o beijo. É diferente. Não é um beijar por beijar. É beijar para provocar a troca de sensações. É sinergia. É magia. É paixão.
Antes, quando voltavam juntos para casa, caminhando, tudo era besteira, conversa fiada e simples andar. Agora não!
Agora, tolo apaixonado, você não sabe o que falar. Fica em silêncio. Ela também. Sim, ela já percebeu que há algo diferente. Mulheres têm percepção aguçada. Ela sabe e não vai falar nada. Vai esperar a declaração ou vai esperar essa fase simplesmente passar. No fundo, porém, você sabe: não vai passar.
Eis que esse é o pior momento. Revelar ou não sua paixão. Pois, por mais que você a queira como nunca quis ninguém; por mais que a vontade de tê-la, agora, ao seu lado tenha crescido assustadoramente, o receio de perder a amizade e, sobretudo, a presença constante dela te faz recuar.
Nesse momento, a coisa começa a se parecer muito com aquelas histórias de amores platônicos. Em seu medo angustiante e seu egoísmo humano, você prefere não tê-la como deseja – homem x mulher –, a perder aquilo que te faz tão bem: a simples presença do ser amado.
Também concordo se você disser que isso tudo é muito complicado. No entanto, se fosse simples não seria paixão. Se tivesse explicação, não teria graça.
Você, caro leitor, pode até achar que esteja errado ao se descobrir apaixonado por um (a) amigo (a). Mas, se for essa a situação, lembre-se do que diz a canção... “O impossível é só questão de opinião”.


(...)

9 comentários:

Luciene disse...

"Ela nasce pura e simplesmente para ser vivida".
A vida é curta, corra riscos!!!

Bim (rsrs)

Luciene disse...

Bom domingo, Paulo.

Inara disse...

Que tudo. Amei!
Passei por isso!


Inara!

Flávia disse...

como sempre MIIIIIITICO !

Pedro disse...

Se vc nao disser que o texto não passa de ficção, vou começar a acreditar que vc esta apaixonado por uma amiga.

Só opinião!

A crônica ficou perfeita!

Abraço

Mônica de Andrade disse...

uma das paixões mais gostosas que já senti foi na adolescencia. adolescente é o máximo: tudo é muito urgente. viver é urgente!

Hellen disse...

Os amores nascidos de amizades são os mais sinceros.
Lindo texto.
bjo

Artenísia disse...

Não cabe a nós ter domínio sobre este tipo de magia, mas é incrível de ser vivida! Identifiquei-me a cada frase, situações assim são fáceis de encontrar personagens, aqui estou apenas mais uma...
Simplesmente apaixonante

Luciene disse...

"Nada melhor que eu deixar você saber
Pois é tão triste esconder
Um sentimento tão bonito"

Victor e Leo
***Amigo Apaixonado***