Palavras soltas...

(...) "Tenho aprendido muitas coisas nos últimos tempos. Uma delas é que jamais podemos deixar para amanhã um gesto de carinho, um sorriso verdadeiro, uma declaração de amor."

Confira a crônica completa clicando aqui.

sábado, 3 de julho de 2010

Previsível

É complicado falar de derrotas. Pois, depois que elas acontecem, é muito fácil, e chega a ser covardia, dizer que já sabia que as coisas terminariam daquela forma: com derrota.
Mas, mais do que uma cronicazinha bonitinha, exaltando os jogadores e dizendo que os caras foram guerreiros e suaram sangue (o que não aconteceu em nenhum momento dessa Copa do Mundo) é preciso ter coerência para perceber que a atuação da Seleção Brasileira foi esdrúxula e, no final das contas, o resultado foi justo, justíssimo.
A Holanda mereceu vencer, tanto quanto o Brasil mereceu perder.
Ainda concordo com os mais sábios: futebol não tem nada a ver com merecimento. Tem a ver com competência. E mesmo sem jogar um futebol brilhante, sem nada de especial, apenas avançando a marcação e não deixando Kaká e Robinho tocarem na bola, os competentes holandeses decidiram a partida em dois lances de bola parada; este, aliás, o ponto forte do nosso time!
Felipe Melo não é o culpado. Júlio César, que falhou no primeiro gol, também não é culpado. Aliás, não existem culpados. Derrotas acontecem, fazem parte do futebol. Para alguém vencer, outro precisa perder. Ontem, perdemos.
Seria Dunga o grande culpado? Acho que não. Ele apostou em suas convicções e não fez isso sozinho. A comissão técnica existe para auxiliá-lo e dar opinião a respeito da convocação. Sendo assim, Dunga não convocou esta Seleção sozinho.
Caro leitor, amigo torcedor, todos sabemos que se tivéssemos a chance de convocar uma Seleção, muitos ficariam insatisfeitos com nossas escolhas. É preciso, pois, perceber, que o Dunga, por mais teimoso que é, fez o que achava certo e fez o seu melhor. Porém, é preciso ter consciência de que o melhor do Dunga é bem abaixo do que se precisa para conquistar a Copa do Mundo. Ele é tudo, menos técnico de futebol.
Ontem, porém, com o seu time correndo atrás do placar, ele deve ter percebido seu grande erro. Deve ter sido triste para o Dunga olhar para o banco de reservas e não ter quem colocar no time, na vã tentativa de virar o jogo. Havia volantes demais e jogadores de qualidade de menos. Havia comprometimento, claro, mas só isso não ganha jogo. Faltou habilidade, competência, controle emocional e, principalmente, aquilo que diferencia o nosso futebol do futebol jogado no restante do mundo: faltou o futebol brasileiro na África do Sul. Enquanto todos os técnicos levaram para a África o que tinham de melhor, o Brasil se deu ao luxo de deixar o melhor por aqui...
... É tenso!

3 comentários:

Ney disse...

Perfeito seu título!
Era previsível demais essa equipe!
Tava na cara que iriamos tomar!

Tomamos!

Jéssica disse...

Apesar de nao ser a seleção que a maioria do povo queria, acho que era forte.
O que faltou foi um pouco mais de atenção.
O que nao concordo é de as pessoas dizerem que os jogadores perderam por querer, isso não! No esporte todos estao sujeitos a derrotas e dessa vez foi a vez do Brail. É como vc disse, para um ganhar o outro tem que perder!

Faltou mesmo foi competencia. O time errou. Faz parte!

Parabéns pela análise. Te adoro!

soraya disse...

discordo Paulo! eu só vejo futebol na Copa, mas e daí? os principais culpados foram o dunga, o ex-flamenguista felipe melo, o mick jagger e os jornalistas, que criam fantasias homéricas sobre o futebol.