Palavras soltas...

(...) "Tenho aprendido muitas coisas nos últimos tempos. Uma delas é que jamais podemos deixar para amanhã um gesto de carinho, um sorriso verdadeiro, uma declaração de amor."

Confira a crônica completa clicando aqui.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Desejo e medo... Medo e desejo

Já perceberam aquele aperto filho da puta que dá no coração? Já sentiram isso alguma vez? Já sentiram essa agonia por algo ou, principalmente, por alguém?
Muito esquisito tudo isso. Ora, não deveria ser assim. Pelo menos, queria muito que não fosse.
Mas é.
Sempre acontece comigo. Por exemplo, antes das provas finais lá no meu tempo de escola. Antes do Trabalho de Conclusão de Curso, na saudosa época de faculdade e naqueles momentos que precedem a resposta – positiva ou não – sobre uma oportunidade de trabalho. Ah, reuniões com chefes não me causam mais esse tipo de sensação.
Mais tenso ainda é quando essas sensações se dão por conta de um outro alguém. Esclarecendo: mais tenso ainda é quando você se vê “a fim” de alguém e não acha um lado, um jeito, uma maneira de se expressar, de se declarar. Falta coragem.
O estomago fica meio louco. Não para. Da dor de barriga.
É estranho, pois, a qualquer momento a pessoa pode simplesmente desaparecer e você não conseguirá ao menos dizer algo que a faça tomar consciência do seu carinho, sua admiração, seu amor. Quem sabe isso – esse punhado de sentimentos e sensações – não fosse recíproco? Acredite: nunca saberá se não se expressar.
Todo mundo diz que não se pode deixar para amanhã o que se pode fazer hoje. Mas não é tão fácil quanto parece. A vida não é tão simples. Ou é?
Será que têm razão aqueles que dizem que somos nós quem a complicamos?
É preciso pensar nas consequências da sua atitude. Dependendo do jeito que se declarar, você pode estragar o relacionamento amigável que tinha com a pessoa ou pode, na pior das hipóteses, acabar com o bocadinho de chances que tinha com ela. Mas falta de atitude também pode resultar em sérias consequências. Não é mesmo?
Mas o caso é que tudo muda quando essa pessoa esta por perto. E o sujeito começa a ficar confuso, chega a pensar na possibilidade de estar apaixonado.
Olhando bem e analisando os sintomas da paixão que ouvi de alguém muito especial, hoje, talvez isso tudo – agonia, confusão, medo e desejo – pode ser mesmo a tal paixão. Ora, a pessoa não sai da sua cabeça.  Se estiver em algum lugar divertido, fica querendo imaginar como ela reagiria se estivesse lá, ao seu lado. Se estiver triste ou preocupado, tudo o que quer é a presença dela. A paz em momentos de turbulência.
Alias, estamos mentindo pra quem? O que vale mesmo é a presença dela em qualquer momento, qualquer lugar: feliz ou triste!
Assim como minha amiga, Flávia, meu coração também bate mais forte, minhas pernas ficam bambas e, geralmente, não sei muito bem o que dizer.Tenho muita vontade de poder cuidar da pessoa por quem me apaixono, mas como não posso, cuido de mim, me faço forte para que ela tenha sempre onde se apoiar. Fico feliz demais quando ela esta por perto. Na distância, apenas espero. Não há tristeza, só saudade.
Enfim, o que sei é que enquanto estou aqui digitando esse monte de coisa sem eira nem beira, sem sentido e sem propósito, a pessoa está não sei aonde, fazendo não sei o que, na companhia de não sei quem... e eu aqui, entre o medo e o desejo, o desejo e o medo.
Não faça como eu. Vá a luta.
É isso.

6 comentários:

Anônimo disse...

AAAAAAAAAAAAAAAAAH eu amei tanto, esse texto é tão eu, acho que eu dei um pouco de ideia nisso ai eim ! amei demais,

Flavia :*

Amanda disse...

Que lindo!!!!!
Pensei q vc nao fosse mais escrever por aqui.
Sabe que estou na situação semelhante. precisamos conversar.

Ótimo texto, Paulo! Como sempre.

Bjo. Saudade

Mônica disse...

Ohhh Deus!!!
C'est la vie, mon cher amig!!! C'est la vie!! Qu'est-ce qu'on va faire??? Rien, rien, rien... viver somente e nada mais...
Eu falei que vc era bom de dar conselho :)
ADoro
Beijo coração!

Anônimo disse...

tooodo dia veio ler o texto :/

Flávia ;*

Aline Ferreira disse...

Até que enfim vc voltou a escrever no seu blog... ja tava morrendo de saudade.
sabe que esse post me encorajou?
adorei. alias amei.

bjosssssssss

Roip_ disse...

òtimo texto; faz pensar em coisas, em vida... me inspirou a escrever...

Abraços.