Palavras soltas...

(...) "Tenho aprendido muitas coisas nos últimos tempos. Uma delas é que jamais podemos deixar para amanhã um gesto de carinho, um sorriso verdadeiro, uma declaração de amor."

Confira a crônica completa clicando aqui.

domingo, 13 de março de 2016

Ela





Muitas coisas passam despercebidas enquanto você está na fila da lanchonete para comprar uma garrafa de água.
Enquanto você está lá, na fila, procurando uma nota de cinco reais para não precisar pagar no cartão, alguém deixou um copo de suco cair; um segurança abordou dois jovens e uma criança derrubou a placa decorativa da Páscoa. Uma mãe gritou!
Enquanto você estava lá, na fila, porém, ela surgiu. Linda como ela só! Vestido longo, cabelo solto e um sorriso impossível de ser descrito. Um olhar que pode ser considerado uma dádiva para quem o contempla. E aquele cheiro que causa sensações e desejos irreveláveis.
Simplesmente ela...
Por acaso ou não, foi só ela passar e você repentinamente se virou. Não foi acaso! Claro que não! Você a sentiu, seu corpo a sentiu. Seu espírito sentiu o dela e seu olhar a procurou. 
Foi rápido, só um “oi”, e, da mesma forma como surgiu, ela sumiu, em meio à multidão... e lá se foi ela, enfeitando outros cantos com a sua beleza, sua leveza.
Ela foi, mas ficou. Pois, por mais que você lute contra isso, ela já está dentro de você, bem aí, no seu coração...

3 comentários:

Henriette Fortes disse...

Meu comentário transfinito:
❤️👍

Tatiana disse...

Nossa!
Que lindo. É tão bom quando nossa alma sente a presença daquilo que nos faz bem.
Muito fofo.

Patrícia disse...

Adoro essa sensação de sentir a pessoa que gostamos se aproximar.
E concordo quando Vc diz que foi seu espírito que a sentiu.
Isso é lindo.
Adorei o texto.