Palavras soltas...

(...) "Tenho aprendido muitas coisas nos últimos tempos. Uma delas é que jamais podemos deixar para amanhã um gesto de carinho, um sorriso verdadeiro, uma declaração de amor."

Confira a crônica completa clicando aqui.

domingo, 10 de novembro de 2013

Algo mais




Poucos dias antes, eles já haviam feito amor.
Se amaram até os corpos não mais aguentarem.
Se desejaram como nunca antes desejaram alguém.
Se sentiram.
E conheceram uma sensação nova, nunca antes experimentada.
Se amaram.
E mesmo assim, naquela noite, a caminho de um jantar, ele hesitou e perguntou.
“Posso pegar na sua mão?”.
Ela não respondeu. Apenas entrelaçou seus dedos aos dele.
Se encaixaram.
Aquele percurso de pouco mais de duzentos metros se multiplicou em quilômetros.
Afinal, andar de mãos dadas é “algo a mais”.
Andar de mãos dadas é muito mais pessoal do que um beijo. 
É íntimo.
Muitas vezes, as pessoas beijam desconhecidos, abraçam estranhos. Mas, de mãos dadas, a gente só anda com alguém especial...
Andar de mãos dadas é dizer pra si mesmo: “Vai, arrisca, vale a pena!”.
E foi isso, só isso, que passou pela cabeça dele durante o caminho.
As palavras sumiram. Os olhares se cruzaram.
E mesmo no silêncio, tudo mudou.
Tudo mudou.
Naquele momento, naquele trajeto, antes de entrarem no restaurante, ele teve certeza que era com ela, e só com ela, que pretendia passar o resto da vida e construir, juntos, uma nova vida.
Ele ainda não sabia, mas já a amava.
Se amaram...